Mestre Boneco - Jerusalém“A roda, os mestres, o toque, as palmas, a ginga, os cantos, o berimbau, a filosofia e a magia.

A capoeira tem 300 anos de história e é praticada em mais de 150 países. Em todos os lugares a língua cantada é o português. Em cada roda a cultura brasileira é reafirmada.

Mestre Boneco vai para o Rio de Janeiro, Salvador, Los Angeles, Nova York, Montreal e Tel Aviv mostrar por que a capoeira integra e transforma, promove encontros e dissemina harmonia.

Capoeira é patrimônio cultural e também a mais nova série da TV Brasil.”

Apaixonado pela capoeira desde os 12 anos, Beto Simas recebeu o apelido de Boneco quando foi “batizado” por Mestre Touro. De lá pra cá, transformou a paixão em profissão. Participou durante 18 anos do Grupo Senzala e, em 1989, fundou o Grupo Capoeira Brasil. Hoje radicado em Los Angeles, EUA, Mestre Boneco dirige um centro cultural voltado para a divulgacao da cultura brasileira, com a Capoeira como seu “carro chefe”.Mestre Boneco foi recebido em Washington DC, no congresso americano, onde teve a oportunidade de apresentar a capoeira e mostrar a forca que a mesma exerce no devenvolvimento e recuperação dos jovens visando a dissolução das gangs e a pacificação da cidade.

Na série Capoeira, Mestre Boneco visita as mais diferentes escolas de capoeira no Brasil e no Mundo, conversando com outros mestres e também com seus alunos e revelando toda a magia e encanto dessa cultura genuinamente brasileira.

Os comentários estão encerrados.

Muito Prazer, Eu Sou a Capoeira

Foi na Pedra do Sal? No Cais do Valongo? Ou foi nas antigas senzalas? Ninguém sabe ao certo onde surgiu a prática que reunia em rodas pessoas cantando e “brincando” com o corpo. O fato é que, com raízes trazidas pelos escravos de diferentes culturas africanas, a Capoeira foi inventada aqui no Brasil e aos poucos foi se propagando por toda cidade do Rio de Janeiro. Do subúrbio à zona sul, foi formando escolas com objetivos bem diferentes. Alguns viam na prática o puro entretenimento; já outros tinham o desenvolvimento do corpo sua principal função. A história e a simbologia da capoeira é investigada neste episódio por Mestre Boneco.

Capoeira Angola e Capoeira Regional

Salvador é uma cidade que brilha pela cultura negra. A música, os instrumentos, as danças, a religião; tudo remete às origens africanas de seus cidadãos. Não era pra menos que grandes referências da capoeira surgissem ali. Mestre Pastinha e Mestre Bimba foram os fundadores da Capoeira Angola e da Capoeira Regional, respectivamente, e são personagens essenciais à história da capoeira no Brasil. Na Bahia pode-se encontrar, também, os melhores artesãos do berimbau, instrumento reverenciado nas rodas. No Rio Vermelho, Mestre Boneco ainda conversa com os discípulos de Bimba, que procuram nos dias de hoje dar prosseguimento a obra do Mestre e manter a capoeira viva.

Capoeira, Língua Universal

A capoeira é praticada em mais de 150 países. A língua portuguesa é ensinada em diversas escolas, academias, e até universidades, por conta dos praticantes e mestres de capoeira que saíram do Brasil. Academias e profissionais se multiplicaram ao longo dos anos, para atender a demanda cada vez maior dos estrangeiros ávidos pelo contato com a prática, e com a cultura brasileira.

Jogo Capoeira, sou igual a todo mundo

A capacidade integradora da capoeira é visível aos olhos de qualquer pessoa. Seu símbolo principal é a roda e os pés no chão. Herança cultural de povos africanos que sofreram forte desestruturação, foi criada no Brasil com o intuito de aglutinar, de compartilhar momentos de alegria e de dor. Os cantos soam como mantras e qualquer pessoa é sempre bem vinda à roda. Esta filosofia primordial pode ser vista em Telaviv, entre judeus e palestinos; ou em Los Angeles, com mexicanos e outros estrangeiros. Pode ser vista no Canadá, entre uma turma de adolescentes de reabilitação de drogas; ou no Brasil, entre jogadores das mais diferentes classes sociais. Histórias emocionantes foram traçadas dentro da capoeira e poderão ser vistas neste episódio.

Capoeira, um jogo que não tem fim

O reconhecimento da capoeira como Patrimônio Cultural e a profissionalização do capoeirista elevou a prática a um patamar diferente no Brasil. Antes marginalizada, agora a capoeira é por autoridades do mundo inteiro. Da roda formada na sede da ONU, ao discurso do ex-ministro Gilberto Gil, a capoeira é um cartão de visitas do nosso país. Mas o que é necessário para se tornar um capoeirista? E qual a responsabilidade de mestres que difundem a capoeira pelo mundo tem?